A própria mãe induzia a filha a fazer fotos eróticas simulando atos sexuais para satisfazer os desejos sexuais de um homem que ela conheceu por meio das redes sociais. Cada foto tirada rendia a mãe um retorno financeiro e ao aliciador minutos de prazer ao ver o corpo de uma pré-adolescente nua e em situações eróticas típicas de produções pornográficas de baixíssimo nível.

Por dinheiro, mulher produzia e encaminhava imagens da menina para um homem que se apresentava como agenciador de modelos na internet

acabe com dores

 A mãe de uma menina de 11 anos de idade foi presa nesta segunda-feira (5), na região metropolitana de Curitiba, acusada de pornografia infantil. Segundo as investigações da Policia Federal a mulher produziu e encaminhou imagens de sua filha com evidente conotação sexual para um indivíduo que se apresentava como agenciador de modelos na internet.

De acordo com a Polícia Federal, a mãe da menina foi atraída pela promessa de ganhos financeiros.

A menina ficou sob a responsabilidade do pai, que não tinha conhecimento dos fatos, com a supervisão do Conselho Tutelar, e a mãe foi encaminhada à custódia da Polícia Federal em Curitiba.

A pena para posse de pornografia infantil é de até quatro anos de prisão, para o compartilhamento é de até seis anos e para a produção de imagens dessa natureza é de até oito anos. Submeter, induzir ou atrair à prostituição ou outra forma de exploração sexual de menores configura, ainda, crime com pena de até 10 anos de reclusão e multa.

 

 

Comentários

Comentários