Professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro é condenado por participação em ato terrorista. Este é o Brasil que os comunistas criaram. Um país onde se ensina terrorismo em sala de aula.

Condenado na França por terrorismo, o físico, com ligações com a al-Qaeda, chegou ao Brasil em 2013, recebeu 56 mil reais do CNPq e recebe 11 mil por mês da UFRJ

O professor franco-argelino, Adlène Hicheur, que era pesquidador visitante do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi deportado sumariamente do Brasil, na noite de sexta-feira (15). Segundo informações preliminares, ele foi deportado para a França, do aeroporto internacional do Galeão, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro.

Hicheur foi condenado na França, em 2009, acusado de trocar mensagens com pessoas envolvidas em atos terroristas. Apesar de negar as acusações que, segundo ele, “não apresentou nenhuma prova material para sustentar seus argumentos” e ter sido condenado “com base em hipóteses”, o professor cumpriu pena na França, antes de vir ao Brasil, onde estava desde 2013, na UFRJ.

Em nota no site, a UFRJ disse que ficou surpresa e preocupada com a ação da Polícia Federal “anunciada sem apresentação de justificativas claras e atenção a princípios democráticos básico”, em referência ao direito à defesa.

Este é o nosso Brasil. Um país que paga salário a terrorista e mata na fila do SUS milhares de doentes que não podem pagar plano de saúde.

Comentários

Comentários

Epa!! Não vai embora não!

Gostou desse artigo? Clique aqui e cadastra-se para receber nossas atualizações.
1 .Clique; 2. Preencha seu e-mail, 3. Valide o e-mail recebido.

Compartilhe essas publicação com o seus amigos, eles também vão gostar!