De acordo com fontes da Polícia Federal, o pastor Silas Malafaia foi alvo de condução coercitiva na manhã desta sexta-feira (16/12/16). A ação é batizada de “Operação Timóteo”, em referência a uma passagem do livro de Timóteo da bíblia.

Na tarde de ontem o pastor Silas Malafaia gastou parte preciosa do seu tempo para criticar o deputado federal Eduardo Bolsonaro. As críticas eram em razão do fato de as “10 Medidas contra a Corrupção” terem sido devolvido para o Senado por meio de uma ação judicial do deputado, que é filho de Jair Bolsonaro, ter acusado o Congresso de desfigurar um projeto de iniciativa popular para intimidar juízes e procuradores da Operação Lava Jato.

Veja algumas das críticas do pastor Silas Malafaia ao deputado Eduardo Bolsonaro:

O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), ordenou nesta quarta-feira (14) que o projeto contra a corrupção enviado para o Senado no último dia 30 de novembro volte à Câmara dos Deputados para maior discussão e nova votação.

Fux atendeu mandado de segurança impetrado no dia 2 de dezembro pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), que pedia a anulação, via liminar, da votação do pacote. O pedido do deputado citava a transformação do projeto inicial – especialmente a cláusula sobre o abuso de autoridade – e a tentativa de votação por urgência no Senado já no dia seguinte à aprovação na Câmara.

Como diria o personagem Joseph Climber: “A vida, esta sim, é uma caixinha de surpresas”. A surpresa bateu cedinho na porta do pastor Silas Malafaia. Segundo fontes da Polícia Federal, o pastor foi acordado pela Polícia Federal com um mandato de condução coercitiva. Prevista no Código de Processo Penal Brasileiro (CPP), a condução coercitiva é considerada, de acordo com alguns juristas, uma espécie de “prisão cautelar” de curta duração. O indivíduo é obrigado a ir a uma delegacia prestar depoimento conduzido por viatura policial.

O pastor Silas Malafaia, da Associação Vitória em Cristo, ligada à Assembleia de Deus, é alvo de condução coercitiva na Operação Timóteo. A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira, 16, ações em 11 estados e no Distrito Federal.

A investigação apura um esquema de corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral (65% da chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais – CFEM – tem como destino os municípios).

Malafaia é suspeito de apoiar na lavagem do dinheiro do esquesma, que recebeu valores do principal escritório de advocacia investigado. A suspeita a ser esclarecida pelos policiais é que este líder religioso pode ter “emprestado” contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores.

O nome da operação é referência a uma passagem do livro Timóteo, integrante da Bíblia Cristã: 9 “Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição”.

Agora fica o questionamento: O que leva um homem que se diz de Deus a criticar quem zela pela moral, pela ordem e pelo progresso do país? Por que o pastor Silas Malafaia quer tanto que os procuradores e juízes da Operação Lava Jato sejam intimidados?

Comentários

Comentários

Epa!! Não vai embora não!

Gostou desse artigo? Clique aqui e cadastra-se para receber nossas atualizações.
1 .Clique; 2. Preencha seu e-mail, 3. Valide o e-mail recebido.

Compartilhe essas publicação com o seus amigos, eles também vão gostar!