O presidente Michel Temer está construindo uma vingança contra os tucanos que votaram pela continuidade das investigações contra ele. A maldade será tirar o prefeito João Dória do PSDB e levá-lo a concorrer a presidência pelo PMDB.

O presidente Michel Temer (PMDB) e o DEM cresceram os olhos para cima do prefeito de São Paulo, João Doria, e passaram a articular nos bastidores para tirá-lo do PSDB. Ambos tentam seduzir o tucano com a oferta de lançá-lo candidato à Presidência da República nas eleições de 2018. Segundo o jornal Estado de S.Paulo, Temer disse ao prefeito que “as portas do PMDB estão abertas” para que ele dispute o Planalto.

acabe com dores

Temer fez o convite durante um encontro com o tucano na Prefeitura de São Paulo, na segunda-feira. A ideia dos partidos é aproveitar as brigas internas do PSDB para garantir uma candidatura estável a Doria. No momento, o único político da sigla que admite publicamente a intenção de concorrer à Presidência é o governador paulista, Geraldo Alckmin — padrinho político de Doria. Alckmin está muito decepcionado com a traição de Dória.

Aécio Neves que é sagaz como uma cobra, já criou uma cilada que será um constrangimento público enorme para João Dória. Ele antecipou o calendário de lançamento da candidatura oficial do candidato do PSDB. Será agora em dezembro. Desta maneira Dória teria que renunciar com menos de um ano de mandato. Será uma enorme traição a quem confiou o voto para ele ser prefeito. A intenção de Aécio e Alckmin é exatamente fazer João Dória sair do armário. Ele em entrevistas vive dizendo que não tem interesse em se candidatar a presidente, mas nos bastidores articula com outros partidos e viaja para diversos estados para tornar seu nome visível nacionalmente.

Já o governador Geraldo Alckmin, em longa conversa com o senador mineiro, elogiou a iniciativa. Ele esteve na casa de Aécio, na quarta-feira (9), por quase duas horas. O calendário, como está posto, ajuda a manter sua candidatura como a mais provável no PSDB.

Temer está muito confiante na ida de Dória para o PMDB. Os argumentos principais são que o PMDB tem mais tempo de TV e recursos do fundo partidário. Fora do PSDB João Dória precisa conter as forças de Bolsonaro, Lula e do seu ex-amigo Geraldo Alckmin. Só com uma campanha eleitoral rica de recursos financeiros e tempo será possível desconstruir a imagem de Bolsonaro. Este argumento está levando Dória a ser o mais novo aliado de Temer.

Comentários

Comentários