Baladas que davam meia entrada para mulher, ou até mesmo gratuidade, estão na ilegalidade agora. Acabou o preconceito com os homens nas casas de show de todo o Brasil.

Na última sexta (30), o Ministério da Justiça entrou na polêmica dos preços diferentes cobrados nas baladas do Brasil para homens e mulheres e determinou: essa cobrança diferenciada é ilegal.

De acordo com a atração, quem está dizendo que mulher pagar menos que homem é ilegal é Secretaria Nacional do Consumidor, órgão ligado ao Ministério da Justiça. A secretaria vai divulgar a partir desta segunda-feira (03) uma orientação para restaurantes, bares e casas noturnas. O texto diz: “Diferenciação de preço entre homens e mulheres é uma afronta ao princípio da dignidade da pessoa humana, uma prática comercial abusiva. Utiliza a mulher como estratégia de marketing que a coloca em situação de inferioridade.”

Segundo o Secretário Nacional de Direitos do Consumidor, Arthur Rollo, entrada em casa noturna tem que ter o preço igual para homens e mulheres. “Rodízio de pizza, rodízio de carne, o preço tem que ser igual para todo mundo. Não pode ter qualquer distinção em função do gênero.”

A orientação é que sejam feitas fiscalizações nas casas noturnas, para que essa cobrança diferenciada de preço deixe de existir em todo o Brasil.

Veja o debate sobre esta questão no Jovem Pan Morning Show desta segunda (03/07/2017).

Comentários

Comentários

Epa!! Não vai embora não!

Gostou desse artigo? Clique aqui e cadastra-se para receber nossas atualizações.
1 .Clique; 2. Preencha seu e-mail, 3. Valide o e-mail recebido.

Compartilhe essas publicação com o seus amigos, eles também vão gostar!